Todos os posts de Taynara Silva

Propósito como guia para uma empresa tornar-se única

A seta o alvo como analogia para o propósito
A seta o alvo como analogia para o propósito

O mundo tem aproximadamente 300 Milhões de empresas. Só no Brasil, são mais de 2 Milhões delas. Na área de tecnologia da informação, o Brasil tem mais de 15 mil empresas, com crescimento anual de 30%. Nesta imensidão, tornar-se uma empresa única é um trabalho bastante complexo.

Mas você pode estar se perguntando, por que ela deve ser única?

Somos únicos

Existem pessoas idênticas entre as mais de 8 Bilhões que existem no mundo? Não. Mesmo os gêmeos idênticos possuem características únicas. Empresas são organismos individuais, formadas por pessoas, o que as tornam únicas.

Podemos fazer a analogia de que as pessoas estão para as empresas assim como as células estão para o corpo.

Mas a grama do vizinho é sempre mais verde

É muito comum ouvir frases assim:

A Apple é a empresa inovadora por que tem um dia livre para o colaborador fazer o que quiser.

No Google as pessoas não tem hora para entrar no trabalho, podem levar seus cães e tem comida a vontade.

No Facebook as pessoas tomam cerveja no expediente, penduram suas bicicletas no teto e podem escolher qualquer tecnologia que vão utilizar em seus novos projetos.

E não há nada de errado nestas frases. O impacto está em ser uma prática comum, empresários quererem copiar estas frases e aplicar no dia a dia de suas empresas sem considerar alguns pontos:

  • Até que ponto a frase sobre a Apple, Google ou Facebook é verdadeira?
  • Minha empresa tem uma cultura que permita a aplicação destas práticas?
  • Quais objetivos serão alcançados com tais práticas?

Ao aplicar as práticas de outras empresas sem considerar a individualidade da sua, em geral, o resultado é uma frustração generalizada por todo o ecossistema da empresa: empresário, colaboradores, fornecedores e clientes.

O que é o propósito?

No livro O velho e o menino de Roberto Tranjan, fundador da Metanóia, o curso da história mostra o caminho para a criação de um propósito e os passos percorridos, considerando o diálogo entre o Velho Taful e o Aladim (apelido dado ao personagem).

Uma definição dada pelo Velho Taful é que o propósito é aquilo que colocamos a frente e que tem origem em nossos desejos e anseios.

Com um propósito definido, que não precisa ser imutável, mas sempre lapidado, a empresa, organismo vivo composto por pessoas, passa a ter uma direção.

No decorrer desta direção, as “regras de conduta” vão sendo criadas e estabelecidas.

O conjunto de propósito + “regras de conduta” (valores) forma uma cultura.

Meu propósito pode ser o dinheiro?

Sim, pode. Porém, em minha visão se o propósito for este, ele acaba sendo insustentável ao longo do tempo e não gera uma empresa única.

O dinheiro é a consequência de uma relação em que todos os envolvidos saem melhores do que quando entraram, e isto acaba sendo cada vez mais difícil de ser alcançado se o objetivo final for o dinheiro exclusivamente.

E a concorrência?

O mercado é amplo e há espaço para todos.

Se mudarmos nossa visão para entender o mercado desta forma, a concorrência deixa de existir e da lugar ao equilíbrio das relações (assunto que quero detalhar no próximo texto).

A diferenciação e posicionamento de uma empresa, que a torna única, é que forma as relações ricas (no sentido que todos envolvidos percebem o crescimento que elas geram).

Qual é o propósito da sua empresa?

O propósito é a fonte de inspiração para construção de uma cultura consistente, onde percepção e realidade são muito próximas, gerando a empresa única.

Qual é o propósito da sua empresa?

Tegra